terça-feira, 13 de setembro de 2016

A paixão segundo G.H


Este livro é como um livro qualquer. Mas eu ficaria contente se fosse lido apenas por pessoas de alma já formada. Aquelas que sabem que a aproximação, do que quer que seja, se faz gradualmente e penosamente – atravessando inclusive o oposto daquilo que se vai aproximar. Aquelas pessoas que, só elas, entenderão bem devagar que este livro nada tira de ninguém. A mim, por exemplo, o personagem G.H. foi dando pouco a pouco uma alegria difícil; mas chama-se alegria.
Clarice Lispector
[Lispector, Clarice. A paixão segundo G.H.: romance. – Rio de Janeiro: Rocco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário