domingo, 14 de setembro de 2014

O gosto do sexo sem rosto na revista JUNIOR




Durante três anos, o autor Marlon de Albuquerque ouviu a história de vários garotos de programa da cidade de São Paulo. Sua intenção era escrever um livro documental sobre sexo anônimo e o sexo pago masculino.Mas no caminho de sua pesquisa, se deparou com a história de Diego, um garoto de programa nascido na Bahia, que veio a São Paulo em busca de uma vida com melhores oportunidades e acabou batendo à porta de uma casa de prostituição masculina que existe de fato no bairro de Santana. A história de Diego é o centro do livro O Gosto do Sexo sem Rosto, um romance com pegada documental que tem vendido muito bem basicamente com publicidade no boca a boca.
A casa que Diego foi morar (e trabalhar) existe. É um “prive”, uma casa onde moram entre 10 e 12 garotos de programa que atendem seus clientes ali mesmo na casa, em seus vários quartos, 24 horas por dia. O livro começa com Diego perdido pelas ruas de São Paulo em busca de ser aceito pelo gerente da casa de prostituição. Assim que consegue a aprovação para morar e trabalhar lá, o livro passa a narrar desde o primeiro programa do personagem central, bem como a vida dos outros michês que dividem o espaço com ele e do funcionamento da casa. Tudo segue em tom documental até que Diego se apaixona por um cliente e o livro ganha contornos românticos.


É o primeiro livro de Marlon de Albuquerque. “Ele (o Diego) tinha um diário em que anotava tudo que acontecia, e aí eu consegui convencê-lo de eu contar essa história. Conheci outros personagens do livro também. Paguei para o gerente para eu ficar dois dias lá na casa. Falei para ele que eu estava fazendo um trabalho de conclusão de curso na faculdade, que eu precisava fazer uma pesquisa. Acabei conversando com alguns clientes, com autorização deles”, conta o autor. Tanto quanto o personagem principal, o autor do livro também é baiano e veio morar em São Paulo para estudar e trabalhar, mas ele nega qualquer traço biográfico na obra. “Conheci algumas pessoas que foram garotos de programa, outras que saíram com garotos de programa, tenho amigos que procuram assiduamente garotos de programa, que só transam com garotos de programa e são viciados em sexo pago. Então é um universo que de certa forma é próximo. E acabou ficando mais próximo de mim ainda por conta do livro”, relata Marlon.


O livro, mesmo quando ganha o fôlego de uma relação romântica entre o personagem central e um cliente, tem a toda hora um tom muito negativista em relação à prostituição, quase lamentador. Diego, o personagem central, bem como a maioria dos outros michês do livro, não vê a hora de se livrar desta profissão, opinião que corresponde à do autor. "É ruim mesmo, no final de tudo é ruim, é legal a grana porque é um dinheiro que não é fácil mas que vem rápido, então isso facilita as coisas. Mas eu acho que num território pessoal, a questão da psicologia é devastadora. Eu acho que (a prostituição) acaba destruindo a autoestima da pessoa, eu acho que eles se expõem a uma série de riscos, eu coloco tudo isso no livro, eu acho que quem ganha é sempre o cliente, nunca o garoto de programa", finaliza ele.


O gosto do sexo sem rosto
Autor: Marlon de Albuquerque
Editora: Thesaurus
Preço: R$ 39,90

3 comentários: