terça-feira, 9 de junho de 2015

Religião


Aos líderes religiosos eu diria, em voz própria de um diálogo amistoso, que fossem orar. Mas, em tempos como esse, é demais sugerir que eles saiam de seus palcos, das redes sociais, das câmeras de TV, locais, onde mostram ódio, ira, desprezo - tudo isso aos berros - com o objetivo egoísta de prevalecer apenas a sua ideia e anular a do outro.
Líderes religiosos, está faltando oração.
Eu me envergonharia de "seguir" uma pessoa histérica que "orientasse" o meu modo de vida .Adriano Gustavo Di Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário