sábado, 28 de janeiro de 2017

Lindo


Agrada-me respirar na escada este cheiro de calma, de ordem, de limpeza, de decência e de domesticidade, o que, apesar de meu desprezo pela burguesia, tem sempre algo de comovente para mim, é me apraz também atravessar o umbral do meu quarto, em cujo interior tudo isso se acaba, onde entre os montões de livros aparecem pontas de cigarros e garrafas de vinho vazias, onde tudo está desordenado e negligente, e onde tudo, livros, manuscritos pensamentos, está marcado e embebido pela miséria do solitário, pela problemática do ser humano, pelo anseio de dar um novo sentido a uma vida humana que já perde seu rumo.
O lobo da estepe, Hermann Hesse

Nenhum comentário:

Postar um comentário