segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Mortes o tempo inteiro


A morte de Marcos Vinicius foi a notícia desta semana. Como muitas LGBT, ele foi vítima de um assassinato motivado por sua orientação sexual. A cada 28 horas, morre uma LGBT por homofobia ou transfobia no Brasil e, enquanto isso, vemos as políticas públicas serem jogadas para debaixo do tapete e o projeto de criminalização da homofobia e da transfobia ser arquivado no Senado. O Autorama, onde Marcos Vinicius foi assassinado, é um conhecido local de sociabilidade LGBT, e que foi fechado pelo prefeito Fernando Haddad, deixando muitas LGBT na insegurança, sem direito aos espaços públicos.
Essa situação só pode mudar se nos mobilizarmos e pressionarmos o poder público. Já demos exemplo na luta contra a cura gay, nas manifestações contra as declarações de Levy Fidelix, e em diversas outras, e se nos unirmos podemos cada vez mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário