quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Lindas palavras




O livro O Gosto do Sexo Sem Rosto, do escritor Marlon de Albuquerque,trata-se de um engenho literário com um poder extraordinário de poesia que se levanta através de suas páginas. O autor delineou em sua obra a imagem de um prosador que escreve iluminado pelo poeta existente em sua personalidade. É por vários motivos um livro singular, não apenas por ser considerado literário; por possuir qualidades literárias que ficaram latentes em decorrência do talento excepcional desse artesão de palavras.
O escritor conseguiu em seu enredo, na espinha dorsal da sua trama, no arcabouço da sua obra em forma de espiral, algo que consideramos e denominamos como “literatura marginal”. No bom sentido chamamos assim porque encontra-se “à margem” do que se é normal e considerado literatura, conceito este ultrapassado no universo acadêmico. Pois, sabemos muito bem que os estudiosos e críticos da área estão se debruçando justamente neste tipo de obra, às quais podemos ressaltar a literatura do negro, do presidiário, a feminina, a do homossexual, entre outras.
O autor demonstrou através do citado livro o seu requinte estilístico, comumente, é livro que está sendo comentado, e percebe-se que será mais ainda no universo homossexual. Aos poucos ele está conquistando o seu lugar, como um movimento de luta. Paga o tributo desta obra numa indisfarçável aversão a certo fragmento do universo gay existente, o qual entre outros, existe aquele que se preocupa com o narcisismo e a futilidade deixando completamente de lado a subjetividade de cada um, que vai muito mais além que um corpo definido de academia e outras coisas fúteis, fáceis de encontrar nesta comunidade.
Gilvan Santos- Aracaju

Nenhum comentário:

Postar um comentário