domingo, 29 de abril de 2018

A saúde dos afetos


Desde que lancei meu livro O GOSTO DO SEXO SEM ROSTO- Diário secreto de um garoto de programa ,com forte apelo afetivo venho sendo questionado, por amigos e leitores sobre as dificuldades de se viver um bela historia de amor em tempos contemporâneos,
Não tenho respostas, mas tenho algumas intuições.
De todos os relacionamentos que você teve qual deles te conduziu ao que você tem de melhor em você?
De todos que passaram pelo seu caminho no geral deixaram mais luzes ou trevas?
Quando você olha para trás o que sobra de bom de tudo que você viveu?
Tenho refletido muito juntamente com meus leitores sobre a saúde dos afetos.
Ainda muito jovens somos gentilmente seduzidos pela possibilidade doce de viver um grande amor e conduzimos nossa vida achando que isso é o pilar central do edifício de nossa felicidade. Mas o tempo vai passando e vamos percebendo que aquilo que buscamos no outro muitas vezes nunca é oferecido, mas a busca continua porque o amor é um movimento continuo.
Sabe tenho chegado à conclusão que tantas e tantas tentativas frustradas de se viver um grande amor se deve ao fato de trazermos para as nossas relações recém-começadas elementos e informações negativas de tudo que não deu certo.
Quando conhecemos alguém em uma balada, site, festas ou qualquer outro lugar, esse alguém nos enxerga como uma folha em branco e temos a obrigação de sermos para essa pessoa uma folha em branco, mas eu sei que é difícil porque passaram inúmeras pessoas em nossas vidas e ao invés de deixarem luz, deixaram lixo, lixo afetivo e uma intoxicação emocional que trava nossa mente e nos direciona para mais um fracasso, o tempo vai passando e vai ficando cada vez mais difícil apostar nessa reorganização emocional, porque não chegamos de alma limpa, todos aqueles que passaram e fizeram estragos nunca voltaram para ajudar a arrumar a bagunça feita, ficamos frágeis, solitários e sozinhos. Mas o grande problema não é o lixo afetivo que o outro deixou dentro de nós, o grande problema é que seguramos com todas as forças esse lixo dentro da gente e inconscientemente permitimos que ele nos direcione e assim mais uma vez somos conduzidos ao fracasso afetivo. A saúde dos afetos ou da emoção é tão ou mais importante que a saúde do corpo. Não temos o direito de levar para uma nova relação o velho eu, danificado, estragado e cheio de registros negativos e equivocados. Existe paginas de nossa vida que da para apagar, outras é necessário virar, e há ainda aquelas mais graves que é necessário rasgar e jogar no lixo, porque guardar o que não deu certo é tomar posse da promessa de tristeza que se atualiza a cada dia dentro de nós.
O que você faz com o lixo emocional que o outro deixou dentro de você? Não precisa responder, eu sei que tem respostas que cabem mais na casa do silencio do que nas palavras.
Acho que descarregar os entulhos psicológicos que adquirimos quando visitamos alguns colos assassinos, talvez seja o grande segredo para desatar esse no, porque o grande segredo da vida é a RECONCILIAÇÃO, se reconcilie com tudo que não deu certo e depois abandone em qualquer esquina, parece difícil, mas não é impossível. As pessoas nos dão aquilo que elas têm dentro delas, às vezes flores, às vezes lixo. Tente se reconciliar através desse processo de esvaziamento e se mesmo assim o telefone não tocar, não fique triste continue nesse processo, persista, acredite, seja o melhor que puder ser e quando você tiver conseguido enfim sem apenas uma pagina em branco eu garanto que logo menos aparece alguém para enche-la de versos amor e sonhos.
Marlon


Um comentário:

  1. ‘’Só por ter acontecido já deu certo. Reconcilie em seu coração a chegada e a partida, porque a experiência do desligamento deve ser tão bonita como a experiência do primeiro encontro. Esse sim é um jeito bonito de ser pessoa’’.

    ResponderExcluir